Na Minha Vez - Aretê Blog

  • 17, março 2013
  • Área de Integração
  • Manuela Silva

O sonho comanda a vida!





Pedra Filosofal

Eles não sabem que o sonho
é uma constante da vida
tão concreta e definida
como outra coisa qualquer,
como esta pedra cinzenta
em que me sento e descanso,
como este ribeiro manso
em serenos sobressaltos,
como estes pinheiros altos
que em verde e oiro se agitam,
como estas aves que gritam
em bebedeiras de azul.




Eles não sabem que o sonho
é vinho, é espuma, é fermento,
bichinho álacre e sedento,
de focinho pontiagudo,
que fossa através de tudo
num perpétuo movimento.

Eles não sabem que o sonho
é tela, é cor, é pincel,
base, fuste, capitel,
arco em ogiva, vitral,
pináculo de catedral,
contraponto, sinfonia,
máscara grega, magia,
que é retorta de alquimista,
mapa do mundo distante,
rosa-dos-ventos, Infante,
caravela quinhentista,
que é cabo da Boa Esperança,
ouro, canela, marfim,
florete de espadachim,
bastidor, passo de dança,
Colombina e Arlequim,
passarola voadora,
pára-raios, locomotiva,
barco de proa festiva,
alto-forno, geradora,
cisão do átomo, radar,
ultra-som, televisão,
desembarque em foguetão

Eles não sabem, nem sonham,
que o sonho comanda a vida,
que sempre que um homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre as mãos de uma criança.

In Movimento Perpétuo, 1956
Sonhar em "português"

A nossa história é de um povo que se libertou do chão e partiu à aventura após a derrocada. É preciso ter um sonho e ir em frente, com método (que é o que nos falta)!

Manuela Silva
  • 25, outubro 2012
  • Sociologia
  • Manuela Silva

Portuguese do it Better!




As interações sociais manifestam os movimentos das mulheres e homens, quais atores representando nos palcos, movimentos condicionados, exteriorizados, mas ainda assim, singulares, alvo de uma identidade própria. Tal como os atores, têm suas entradas e saídas , também os indivíduos se movimentam no tapume da vida, equilibrando suas forças no trapézio sinuoso dos diversos papéis desempenhados.

Tal como eles, por vezes, têm dificuldade em abandonar uma personagem, ou em a encarná-la, pois as funções sociais sucedem-se, num encadear, contornado pelos agentes sociais.

Espaços, evoluções, cordões de tempo fixam os humanos sem os agrilhoarem, dão vida e contorno aos grupos, fazem suceder os encontros e desencontros...

Grupos, interações, mudança, transformação, regularidade e identidade cruzam-se em ambivalência na esfera da etimologia do termo sociologia e seu surgimento. O termo sociologia foi criado por Augusto Comte (1789-1857). A palavra sociologia originou-se do latim socius que significa aliado, companheiro associado e do grego Logos, que significa estudo, ciência.

O que importa é que o resultado mantenha as peças em equilíbrio no tabuleiro de xadrez - o espaço social.

Manuela Silva
  • 20, outubro 2012
  • Sociologia
  • Manuela Silva

O Conhecimento Cientifico na Sociologia!




O "copianço" é uma prática vulgar do senso comum, mas também um fenómeno social abordado pela Sociologia. Ivo Domingues fez essa abordagem, no seu livro [DOMINGUES, Ivo - "O copianço na universidade: o grau zero na qualidade." Lisboa : Media XXI, D.L. 2006. ISBN 972-99351-8-1]



Ivete Carneiro e Bruno Simões Castanheira, publicaram em 28/05/2006, no Jornal de Notícias, o artigo Copianço Generalizado, sobre o "copianço" no nosso sistema de ensino.
Pode transferir o artigo completo (Copianço Generalizado) para o seu computador Clicando aqui.

  • 14, outubro 2012
  • Filosofia
  • Manuela Silva

Acordai!



Acordai
acordai
homens que dormis
a embalar a dor
dos silêncios vis
vinde no clamor
das almas viris
arrancar a flor
que dorme na raíz

Acordai
acordai
raios e tufões
que dormis no ar
e nas multidões
vinde incendiar
de astros e canções
as pedras do mar
o mundo e os corações

Acordai
acendei
de almas e de sóis
este mar sem cais
nem luz de faróis
e acordai depois
das lutas finais
os nossos heróis
que dormem nos covais
Acordai!

Letra de Fernando Lopes Graça e música de José Gomes Ferreira
  • 7, outubro 2012
  • Filosofia
  • Manuela Silva

Discurso do Presidente do Uruguai, na Conferência Rio+20





"Estamos governando a globalização, ou é a globalização que nos governa?
É possível falar de solidariedade e afirmar que 'Estamos todos juntos', numa economia baseada na concorrência impiedosa?
Até onde chega nossa fraternidade?
[..]
O homem não governa hoje"!
[..]
Quando lutamos pelo meio ambiente, devemos lembrar-nos que o primeiro elemento do meio ambiente se chama 'FELICIDADE HUMANA' "

José Pepe Mujica, presidente do Uruguai
  • 10, setembro 2012
  • Filosofia
  • Manuela Silva

Filosofia: uma porta aberta no teu cérebro…




Porque agir não é só fazer, mas também “Pensar”! Não podemos saber o que é a filosofia sem a vivermos, encarnando a nossa própria identidade…



(...) Deverá pois a iniciação filosófica assumir um carácter essencialmente crítico, e consistir num debate dos problemas básicos que não seja dominado pelo intuito dogmático de cerrar as portas às discussões ulteriores; e um bom professor do lidar filosófico é como um indivíduo que nos leciona ginástica procedendo ele próprio como um bom ginasta, e obrigando-nos a nós a fazer ginástica; é quem nos ministra um trabalho crítico, um modelo da faina de elucidação dos problemas (...). Repito: seja a filosofia para o aprendiz de filósofo, não uma pilha de conclusões ado-tadas, e sim uma atividade de elucidação dos problemas. É esta atividade o que realmente importa, e não o aceitar e propagandear conclusões. (…)

António Sérgio, in Problemas da Filosofia de Bertrand Russell, Coimbra, Arménio Amado-Editor, 1974.